quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

As Doenças Sexualmente Transmissíveis e o Carnaval


Elas podem ser adquiridas em qualquer época do ano sem escolher raça, sexo, cor e idade. Estamos aqui para falar das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), pois ainda que algumas tenham cura, outras passam a fazer parte da vida da pessoa para sempre, afetando a saúde física, emocional e a qualidade de vida. As DST são um problema da saúde pública em todo o mundo, porém o clima carnavalesco deixa as pessoas mais suscetíveis, envolvidas no clima da folia e esquecidas de tomar precauções. Por conta disto, os cuidados devem ser redobrados nesta época, tanto para os homens como para as mulheres.

Mesmo não sendo uma garantia de proteção completa, o uso de preservativos é fundamental. No caso de mais de um parceiro, é recomendado fazer exames periodicamente. Os métodos contraceptivos (pílula anticoncepcional, Mirena, DIU, tabelinha) não protegem. Agulhas e seringas não devem ser compartilhadas. Os sintomas nem sempre são aparentes, o que mostra a importância de consultar um médico regularmente e realizar exames, pois o diagnóstico precoce facilita o tratamento. É importante estar atento à procedência dos preservativos e prazo de validade. E cabe um adendo: as bebidas em lata devem ser higienizadas antes do consumo, pois devido a más condições de higiene e armazenamento podem aumentar o risco de contaminação pela proliferação de bactérias.

As principais DST:

Gonorréia: infecção causada por uma bactéria. No homem aparece uma secreção purulenta de 2 a 10 dias após o contato sexual suspeito, com dor e ardência ao urinar. Na mulher o aspecto clínico é variado, pode ser assintomático, como também na forma de corrimento (com aspectos que podem ser diferenciados em cada caso). A infecção quando não tratada no homem pode avançar para os testículos (orquite) e a próstata (prostatite). Já nas mulheres pode avançar para as trompas e o útero. Estas consequências podem levar a infertilidade em ambos os sexos.


Sífilis: é uma infecção causada por 
bactéria. Tanto no homem como na mulher surge uma pequena ferida firme e dura (úlcera) em algum órgão genital, geralmente em uma média de 20 dias após o contato sexual. Também é chamada de cancro duro. As feridas desaparecem em um mês, o que leva a falsa impressão de que sarou. Depois de 1 a 2 meses surgem lesões na pele (sífilis secundária) que podem progredir e agredir o sistema nervoso e o coração.

Cancro Mole: também é causada por uma 
bactéria. Neste caso, surgem várias feridas nos genitais (que são doloridas) e na virilha. A secreção dessas feridas pode contaminar diretamente outras pessoas e/ou partes do corpo, sem necessariamente haver a relação sexual.

Tricomoníase: é causada por um protozoário. Na mulher causa um corrimento amarelo com cheiro típico e pode causar irritação urinária. No homem passa despercebido, mas mesmo assim ele pode contaminar e ser contaminado pela mulher. O casal deve fazer o tratamento concomitante.

Herpes Genital – é causada por vírus. Em ambos os sexos surgem lesões na pele e/ou na mucosa dos órgãos genitais. As lesões aparecem e desaparecem espontaneamente, pois são reguladas por estresse ou pelo ciclo menstrual, nas mulheres. Não há cura definitiva.

Condiloma Acuminado ou Crista de Galo: é causado por um vírus (HPV ou papilomavírus humano). É uma virose que está relacionada com o câncer de colo do útero e câncer de pênis. É caracterizada por uma pequena verruga nos órgãos genitais tanto do homem como da mulher. Apresenta mais de noventa tipos diferentes, sendo que alguns podem levar ao câncer. O HPV 16, por exemplo, é extremamente agressivo, proliferando-se intensamente nos genitais e no colo uterino É uma doença difícil de tratar e o tratamento é do casal.

AIDS: é uma doença causada pelo vírus HIV (vírus da imunodeficiência humana). Transmitido principalmente pelo esperma, sangue e leite materno. O beijo só poderá transmitir o vírus no período que está em alta concentração no sangue de um dos parceiros e o outro tem um ferimento na boca. No sexo oral em um parceiro que possui o vírus, há grande probabilidade de transmissão da infecção se houver ferida na boca, pois o contato é com o sêmem.

Clamidea: causada por bactéria, atualmente, é considerada uma das doenças sexualmente transmissíveis de maior incidência no mundo. Pode atingir homens e mulheres em qualquer fase de suas vidas, desde quando nascem de mães contaminadas até no contato sexual. Nos homens se manifesta como uretrite, pode causar dor ao urinar e 
prurido uretral. Pode demorar dias para se manifestar. Caso não seja identificada e tratada corretamente, pode progredir para uma infecção mais grave, atingindo os testículos com comprometimento da fertilidade. Nas mulheres, inicialmente infecta o cérvix e a uretra. O sintoma, quando ocorre, é um discreto corrimento. As complicações nas mulheres, quando não tratadas, são a doença inflamatória pélvica e o aumento do risco de gravidez ectópica (nas trompas). A maioria das pessoas infectadas não apresentam sintomas ou sinais clínicos, dificultando muito a identificação.


Algumas dessas doenças têm um grande potencial em trazer sérias complicações para a pessoa contaminada, já que na maioria das vezes não se procura cuidados adequados, fazendo que estas infecções durem longos períodos e aumentem suas consequências. Além disso, as DST funcionam como reservatórios e transmitem-se facilmente pelo contato sexual aos parceiros, tornando-as assim um dos principais problemas de saúde pública em todo o mundo. Prevenir ainda é o melhor remédio!







Foto retirada da internet.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário